O Portal da sua Alimentação Espiritual

Assim como o Pai que vive, Me enviou, e igualmente eu vivo pelo Pai,também quem de Mim se alimenta, por Mim viverá. Jo 6:57

REGANDO A SEMENTE

29/04 – Mensagem de edificação

Os bárbaros da ilha, Paulo e a víbora

Assista a mensagem na íntegra na Mesa do Senhor clicando no link abaixo e assistindo no Youtube. Mensagem com tradução para o inglês. Assista esse mensagem na íntegra na Mesa do Senhor no canal do Youtube da Rádio Menorah.

Uma vez em terra, verificamos que a ilha se chamava Malta. Os bárbaros trataram-nos com singular humanidade, porque, acendendo uma fogueira, acolheram-nos a todos por causa da chuva que caía e por causa do frio. Tendo Paulo ajuntado e atirado à fogueira um feixe de gravetos, uma víbora, fugindo do calor, prendeu-se-lhe à mão. Quando os bárbaros viram a víbora pendente da mão dele, disseram uns aos outros: Certamente, este homem é assassino, porque, salvo do mar, a Justiça não o deixa viver. Porém ele, sacudindo o réptil no fogo, não sofreu mal nenhum; mas eles esperavam que ele viesse a inchar ou a cair morto de repente. Mas, depois de muito esperar, vendo que nenhum mal lhe sucedia, mudando de parecer, diziam ser ele um deus.

  • Atos 28:1‭-‬6 – Não julgueis, para que não sejais julgados.
  • Mateus 7:1 – Pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.
  • Marcos 16:18

Esta passagem de Atos revela princípios eficazes para crescermos em Vida. Paulo disse que era necessário permanecer no barco para não perder a vida. As direções do Espírito foram cumpridas. Todos no barco sobreviveram e chegaram a uma ilha. O que Deus falou, aconteceu, houve salvação de todos.

Os bárbaros da ilha trataram todos com afeição, isto não é um comportamento normal. Deus tocou em seus corações.
Paulo mostrou-se prestativo com os demais náufragos e auxiliou nos serviços. Mas quando ele foi pegar alguns galhos para alimentar a fogueira, uma víbora que estava ali, picou-o ficando presa a sua mão.

Quando os bárbaros viram essa cena, esperaram que caísse morto. Eles julgaram que ele fosse um assassino ou malfeitor, pois a morte lhe perseguia. Eles tinham o mesmo problema que os crentes. Nós julgamos interna e externamente ao invés de obedecer às Palavras de Cristo. Isso é muito ruim.

Eles não conheciam Paulo, mas o julgaram. Isso é muito perigoso. Não podemos atrair maldição dessa forma sobre nossas vidas. Sempre que julgamos pessoas, somos injustos. Precisamos aprender sobre essas coisas.
Temos que ter uma vida de relacionamento saudável na Igreja. Quem pode se livrar de um ataque da serpente?

Somente os que se negam, obedecem e se submetem a Deus. Paulo recebeu o livramento porque era um servo fiel e as picadas não lhe faziam dano. Nós sempre levaremos picadas na era da graça, mas só os perseverantes ficarão de pé.
As promessas de Deus são infalíveis. Paulo não sucumbiu e os nativos então chegaram a conclusão que ele era um “deus”.

Esse é o desequilíbrio das almas sem o governo Divino. Crentes assim não tem sobriedade e sensatez, oscilam o tempo todo. O veneno da serpente só mata quem está na carne. Paulo estava no Espírito e o veneno não tinha efeito sobre ele. Estamos na carne ou no Espírito? Vamos refletir sobre isso.

Deus abençoe.

Dica: Nós sempre levaremos picadas na era da graça, mas só os perseverantes ficarão de pé.

DESTAQUES DA SEMANA

Ir para o Totpo