Como suportar perdas e dificuldades

A Bíblia diz que o caminho para a vida é apertado. Em contrapartida, o caminho para a morte é largo e espaçoso. É realmente muito fácil estarmos caminhando para a morte: basta levarmos uma vida alheia à vontade de Deus. E muitos, hoje, vivem assim: afastados e desinteressados pela vida de Cristo. Em nossa vida, sempre sofreremos muitas perdas. Os sofrimentos e perdas sempre existirão, mas podemos escolher se iremos perder porque estamos andando com Deus, assim como Abraão andava, ou se iremos perder porque não queremos andar com o Senhor.

Entre essas duas alternativas, é bem melhor andarmos com o Senhor, para que, supridos pela Sua vida, possamos enfrentar as perdas. Hoje, quando passamos por qualquer tipo de sofrimento, acabamos por murmurar, expressando o nosso descontentamento pela situação pela qual estamos passando.

Esse tipo de atitude que frequentemente temos, demonstra que não estamos amparados pela vida de Cristo, não estamos fortalecidos pela Palavra a ponto de suportarmos com alegria as perdas, porque sabemos que Deus está no controle de nossas vidas. Se todos soubessem que seria muito mais fácil viver fortalecido pela Palavra de Cristo, tais pessoas seriam bem mais felizes. Portanto, as reclamações, a irritação, a impaciência, a depressão, o ressentimento demonstram que não estamos amparados na vida de Cristo e nem estamos fortalecidos pela Palavra. Uma pessoa que teve contato com a Palavra e foi por ela fortalecida, não se ressente quando é rejeitada. Ela também não perde a paciência quando as coisas na sua vida não estão de acordo com a vontade dela.

Diante desses exemplos, podemos ver a falta que a vida e a força de Cristo fazem em nossa vida. Precisamos olhar para nosso coração, para a nossa realidade, a fim de podermos ver que não somos pessoas fortalecidas pela Palavra. Há uma passagem bíblica que fala sobre isso. Ela está no capítulo 7 do evangelho de Mateus, versículo 24 e 25, que diz: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica, será comparado a um homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha”.

A casa, nessa passagem, representa a nós. E como casa, sempre enfrentaremos ventos, chuvas, inundações e perigos. Mas há uma só maneira de não cairmos: sendo edificados sobre a rocha, que é Cristo. Há algo além de Cristo que possa lhe sustentar nos piores momentos de sua vida? Cristo é a nossa rocha, e precisamos ser fortalecidos por Ele para suportarmos, com alegria, todas as dificuldades.

Equipe Pão de Judá


Como ser vitorioso

Para que a sua vida seja uma vida de sucesso, você deveria fazer a si mesmo a seguinte pergunta: “será que a vida que eu levo hoje é a vida que Deus planejou para mim?”. Diante disso, você pode se perguntar sobre o que o sucesso tem a ver com isso, mas eu lhe digo que um depende do outro. Se perguntarmos para qualquer pessoa o que significa a palavra sucesso, a resposta que obteríamos seria a seguinte: “sucesso é ter tudo o que eu quero”. E creio que na sua mente é essa a ideia que prevalece. Mas você já conseguiu alcançar esse sucesso?

É neste ponto que encontramos muitas dificuldades! Todos querem ter uma vida de sucesso, mas pouquíssimos conseguem atingi-lo. E você sabe por que isso acontece? A resposta nós podemos encontrar na Bíblia. Até a Palavra de Deus revela como podemos ser pessoas vitoriosas. Então, gostaria de citar uma passagem que se encontra no livro de 1 Coríntios, capítulo 15, versículo 57, que diz: “Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo”. Aqui está a chave de uma vida de sucesso, e você precisa compreender essas coisas para receber os benefícios dessa palavra que foi lida. Ela diz que a tua vitória vem unicamente de Cristo. E se você prestou atenção no versículo, ele não diz: “graças a Deus que me dá a vitória pelo meu próprio esforço!”. E, se isso não está escrito na Palavra, é porque o teu próprio esforço, isoladamente, não pode te levar à vitória! Por exemplo: digamos que o seu objetivo seja ter uma vida sem nenhuma dificuldade. Por acaso, isso é possível apenas com o teu próprio esforço? Será que tuas qualidades te salvarão das dificuldades e das brigas na família?

Portanto, gostaria de repetir o versículo para que fique bem claro a forma de como podemos ser vitoriosos. 1 Coríntios 15:57 diz: “Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.” Após ler novamente esse versículo, eu pergunto: de onde vem a tua vitória? Vem de ti mesmo ou de Cristo? Agora pense nas áreas em que você tem sido derrotado seguidamente. De repente, há derrotas na sua família, no seu trabalho, no relacionamento com as pessoas, ou até mesmo pode haver derrotas em seu coração. Derrota é tudo aquilo que é negativo. Então, podemos considerar como uma derrota a depressão, o desânimo, a ira, a amargura e a murmuração. Será que a derrota não está rondando a sua vida e você nem se deu por conta disso?

E de acordo com 1 Coríntios 15:57, através de quem você pode mudar de vida e ser alguém vitorioso? Somente através de Cristo! Seguidamente somos derrotados ou porque não sabemos ou porque não cremos que em Cristo está a nossa vitória. Portanto, se há tribulações ou dificuldades, isso é um sinal de que Cristo não está no comando da sua vida! Ou você acha que Cristo leva alguém para as dificuldades, para a depressão ou para a amargura? O Senhor nunca leva alguém às coisas negativas, mas Ele sempre nos leva a desfrutar da Sua vida. Porque esse desfrute, que vem de conhecer a Cristo e de praticar seus mandamentos, é a nossa plena satisfação!

Equipe Pão de Judá


Como restaurar um lar em desordem?

De todos os problemas que há em nossa sociedade, creio que o pior é aquele que enfrentamos dentro de nossa própria casa. Lá estão as maiores brigas, desavenças, choques de opiniões e de convivência. Diante desse tipo de dificuldade, cada uma das pessoas que vive na mesma casa quer estar com a razão. Mas, em um lar que está sofrendo dificuldades de convivência, todos estão errados. Não há “mocinho e bandido” dentro de um lar, porque todos são bandidos. Não é confortável para um homem reconhecer que isso é verdade, pois nos esforçamos ao máximo para sermos considerados as vítimas de toda situação. Entretanto, a Palavra de Deus ensina: Deus nunca irá nos considerar vítimas, porque dentro de um lar problemático não existem vítimas, todos estão errados.

É difícil para uma pessoa orgulhosa reconhecer que está errada, pois é mais fácil analisar toda a dificuldade e encontrar um culpado, que não seja eu, é claro! Isso acontece porque quando uma pessoa se considera a vítima, ela não precisa mudar e corrigir suas atitudes. Para ela, somente o bandido, o causador das intrigas e conflitos é que deve mudar a sua postura na família. Olhe para a sua própria família, pense qual dos seus familiares lhe causa mais problemas? É fácil achar um culpado, não é verdade? O difícil é olhar para você mesmo como o maior causador dos conflitos. É por isso que a Palavra de Deus diz que em um lar com problemas, todos estão errados e todos devem mudar suas atitudes para viverem em paz.

E você sabe por que todos estão errados? Porque ninguém em sua casa está agindo pela vida de Cristo. Há uma passagem bíblica, que está no livro de Primeira Coríntios, capítulo 14, versículo 33, que diz: “Pois Deus não é Deus de desordem, mas de paz”. Quando um lar está em desordem, é porque falta Deus neste lar. Falta a vida divina, falta a Palavra de Deus, faltam atitudes de acordo com a vida e com a Palavra de Deus, logo, todos os membros desta família são considerados culpados. Porque se uma só pessoa dentro de uma casa agir segundo a vida de Cristo, que é a obediência à Bíblia, todos serão contaminados pela vida de Deus e serão cheios de paz. Mas, se todos agirem pela morte, em desacordo com a Palavra de Cristo, sempre haverá desordem.

É horrível viver em um lar carente da vida de Cristo, e você já deve ter alguma experiência disso. E se o seu lar estiver em desordem, Cristo precisa entrar neste lar através das suas atitudes. Não espere pelos outros, comece a transformação por você mesmo, porque todos estão errados, em todos os canais só flui morte, só há desobediência aos princípios de Deus. No entanto, se a vida de Cristo começar a fluir através de você em seu lar, haverá paz. E a vida de Cristo restaurará toda a sua casa. Restaurará o amor, a convivência e a autoridade. Porém, se a vida de Cristo não entrar, a desordem continuará reinando em sua casa.

Equipe Pão de Judá


Como restaurar sua família

Muitas vezes, não percebemos a importância da família. O bom convívio familiar, a ausência de desavenças e do ressentimento entre os membros da família é vital até para a sua saúde física e emocional. Uma das primeiras coisas que Deus fez quando criou Adão, o primeiro homem, foi constituir uma família para ele. Através disso, podemos ver o quanto a família e o ambiente familiar são importantes para Deus e para o homem.

Mas nós, muitas vezes, não damos valor à família. Não nos preocupamos em trazer Deus para o nosso lar para que Ele possa restaurar a convivência tanto entre os cônjuges, como entre os pais, filhos e irmãos. Em sua mente, você pode já ter estabelecido muitas metas a serem alcançadas. Você pode até achar que sua felicidade depende de seu emprego ou de seu lazer. Mas a sua felicidade depende da sua família. É por isso que muitos os homens são tristes, depressivos, frustrados e insatisfeitos. Suas famílias estão em desordem, porque não funcionam segundo o que Deus estabeleceu em Sua Palavra.

Saiba que uma das maiores preocupações que Deus tem é a de restaurar a sua família. O que o Senhor mais deseja é que Ele venha a fazer parte desse relacionamento. A relação a dois, marido e mulher, deve passar a ser uma relação a três: marido, mulher e Deus. Essa é a relação perfeita e a família perfeita, onde tudo está em ordem e todos são felizes e satisfeitos. Você quer isso para sua vida? Então, preocupe-se em trazer Deus para o seu lar. Tanto a sua felicidade como a paz no seu lar dependem disso. Mas como Deus pode fazer parte da sua família? Essa é uma pergunta que pode ser facilmente respondida com o que está escrito no livro de Colossenses, capítulo 3, versículo 13, que diz: “Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós”. Praticar esse versículo é trazer Deus para o seu lar. As famílias de hoje são desestruturadas pela amargura e pelo ressentimento, pelas mágoas que os familiares têm entre si. E você acha que existe outra forma de restaurar o seu lar que não seja pelo perdão? Hoje, o que fazemos, é forçar uma convivência pacífica. Mas, em geral, há falsidade. Só quando você começar a liberar perdão para cada um de seus familiares é que Deus irá colocar o amor por eles em seu coração. Não digo que você não ama os seus familiares, mas lhe falta agir com amor. Perdoar é agir com amor. Suportar as fraquezas do outro é agir com amor. E é esse amor que você está expressando na sua família?

Então, pense nisso: além do perdão, há outra forma de restaurar um casamento? Não. Mas o perdão não é uma questão de quem errou e de quem está certo. O amor que vem de Deus nunca se justifica. Mas o que é mais importante para você: ficar com a razão ou restaurar seu convívio familiar? Perdoar é abrir mão de justificativas, de argumentações, de mágoas e de cobranças. Amar é suportar com mansidão uma pessoa até que Deus trate dela e a coloque no caminho. A partir deste momento você já possui entendimento suficiente para restaurar seu lar. Que Deus o abençoe.

Equipe Pão de Judá


Como amar sem antes conhecer?

Há um trecho das Escrituras que diz: “Não havendo visão, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz”. O intuito de Deus é restaurar Sua visão no interior dos homens, por isso, nosso encargo é obter entendimento profundo sobre Cristo. Se analisarmos a realidade que vivemos, veremos que em todas as áreas da sociedade há corrupção. A qualidade de vida fica cada vez mais precária, revelando a falta de cultura espiritual dos homens.

Ninguém conhece ao Senhor Jesus! Nós fomos criados para viver de acordo com os mandamentos divinos. Um homem só alcança a felicidade quando vive em obediência às leis divinas. Deus deve estar em primeiro lugar em nosso coração. Alguns versículos dizem: “Muitos propósitos há no coração do homem, mas o desígnio do Senhor permanecerá. Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração”. Será que você se agrada de Deus? Será que Deus é o seu primeiro amor? Como amaremos um ser que não conhecemos, que não temos experiências? As pessoas não amam ao Senhor porque não conhecem ao Senhor. Portanto, se quisermos amar a Deus teremos que conhecê-Lo. Precisamos compreender que tudo o que temos e somos é fruto da misericórdia de Deus. Como você trabalharia e ganharia dinheiro se Deus não lhe desse a saúde? Mateus 22:29 diz: “Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus”. Muitos estão colhendo sofrimentos e dores porque não conhecem ao Senhor. Você já percebeu que a família é a instituição mais carente de Deus? Isso prova que a vida do lar é o que há de mais difícil para o homem administrar. Mas, a Bíblia contém muitas instruções, que ao serem praticadas, trazem paz à família. Se decidirmos ser humildes para ler a Bíblia e extrair delas princípios valiosos, deixaremos de agir e reagir como queremos. Nosso lar receberá o descanso divino, a bênção celestial e natural.

Jesus diz mais, em Mateus 5:44: “Eu, porém, vos digo: amais os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”. Mateus 6:14: “Porque se perdoardes aos homens a suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará”. Mateus 7:1: “Não julgueis, para não serdes julgados”. Mateus 4:4: “Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus”. Quando lemos esses princípios espirituais que vêm diretamente de Cristo, precisamos nos render a Sua autoridade, e buscar aceitar a necessidade que temos de obedecer. Através dessa obediência, o Senhor nos abençoa com a paz que só Ele pode nos dar. Conheça e creia nisso como a única Verdade, a Verdade que é revelada por Jesus Cristo nas Escrituras. Observe que a prática da Palavra não é algo que acontece de um dia para o outro. Muitas vezes fracassaremos em obedecer aos princípios divinos, mas se perseverarmos na decisão de praticar, alcançaremos a vitória. Sempre que nos humilharmos, Deus nos exaltará!

Equipe Pão de Judá


Casamento

Todos os homens têm a característica de serem passivos. Todos querem, mesmo depois de conhecerem o Senhor, apenas sombra e água fresca. Ninguém quer se comprometer com nada, muito menos com as coisas de Deus. É por esse motivo que o Senhor compara a nossa vida com Ele com um casamento. Aos olhos de Deus, Ele é o marido e nós somos a Sua futura esposa. Isso consta no livro de Isaías, capítulo 54, versículo 5, onde está escrito: “Pois o teu Criador é o teu marido – o Senhor dos Exércitos é o Seu nome.” Aqui vemos que estamos em meio a um relacionamento conjugal com o Senhor. Portanto, cada um tem uma parcela de responsabilidade para com o outro. Cada um tem funções específicas e obrigações para com o seu cônjuge.

Temos, então, obrigações para com o nosso Deus. Em primeiro lugar precisamos amar nosso marido. Saiba que Deus nunca te obrigará a fazer tal coisa. Amar alguém é uma opção, assim como amar a Deus. Tudo depende de nós, portanto, essa é a nossa primeira obrigação para com Deus. Em segundo lugar, nós temos funções e metas a serem cumpridas no lar. Isso quer dizer que nós temos coisas a fazer quando nos comprometemos com Deus. Portanto, a nossa sua vida com ele não será tão calma e sem compromissos como muitos imaginam. Nem tudo será sombra a água fresca. Para a nossa salvação, não basta que simplesmente leiamos a Palavra de Deus e oremos de vez em quando. Essas não são todas as nossas obrigações. Há muito mais o que fazer do que simplesmente receber tudo pronto de Deus e apenas querer ganhar bênçãos e outras coisas do Senhor.

Se Ele faz a parte Dele, nos abençoando e nos dando da Sua vida divina, nós devemos cumprir as nossas obrigações. Além de amar a Deus, há o negar a si mesmo, tomar a cruz e seguir a Cristo. Essas são as nossas próximas tarefas como alguém que escolheu estar com o Senhor. Em Mateus 16:24 está escrito: “Então disse Jesus a Seus discípulos: Se alguém quer vir após Mim, a si mesmo se negue, tome a sua cruz e siga-Me”. Se analisarmos um relacionamento conjugal, veremos que o casamento é uma constante renúncia de vontades e de direitos. Um cônjuge deve renunciar algo que gosta para não brigar com a outra pessoa. Assim é que devemos agir para com Deus. Ele já renunciou a muitas coisas, tais como o Seu precioso Filho, que Ele deu por nossa vida, deixando-O vir a terra e morrer na cruz para que os homens fossem salvos. Então, Deus já cumpriu a Sua parte. Agora é a nossa vez de fazermos algo para Deus.

Ame-O, negue a si mesmo, tome a cruz do Senhor e siga-O por onde Ele andar. Se você quiser viver com Deus, tudo isso deve ser feito. Negar a si mesmo e tomar a cruz nada mais é do que você renunciar a sua vontade para cumprir a vontade de Deus. Há duas vontades no mundo: a sua e a de Deus. Qual você escolhe? A sua união com Deus depende de qual escolha você vai fazer. Tome a sua decisão e escolha entre fazer a vontade de Deus ou a sua. Mas fazendo a sua, você nunca conseguirá seguir o Senhor Jesus.

Se você é uma pessoa atordoada por muitas preocupações, saiba que o fardo que você tem carregado diariamente pode estar sendo pesado demais. É por este motivo que você pode se sentir sobrecarregado de tarefas, preocupações e dificuldades. É muito difícil para o homem suportar tantas coisas ao mesmo tempo. Veja, por exemplo, a quantidade de coisas diferentes que ocupam o seu pensamento a cada dia, você não acha que são preocupações demais? Você até pode aguentar tudo isso por um tempo, mas chegará um momento em que você precisará de ajuda.

Equipe Pão de Judá


Casa na Rocha

Há um trecho das Escrituras que diz: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha”. O falar de Jesus é simples e de fácil entendimento. Nesse trecho, vemos que o que nos falta não é conhecimento da verdade, mas prática da verdade. Todos os nossos sofrimentos são resultantes de nossa resistência em praticar os mandamentos divinos. Se ouvirmos o falar do Senhor e nos rendermos às Suas determinações, não precisaremos sofrer.

Note que Deus Se revela apenas para os pobres, para os humildes. Pobre não é alguém desprovido de bens materiais e de dinheiro. Pobre é aquele que está pronto para ouvir e obedecer ao falar divino. Conseqüentemente, rico é aquele que está cheio de si mesmo e não quer ouvir, e muito menos obedecer ao Senhor. Humildade não está relacionada à pobreza material, à condição financeira. Ser humilde é ter realidade de nossa fraqueza e impotência perante o Senhor.

Precisamos reconhecer Deus atrás dos sucessos que temos, caso contrário, Ele permitirá que esses sucessos sejam transformados em fracassos. Quando endurecemos o coração ao falar do Senhor, somos tratados duramente por Ele. Porém, mesmo assim, devemos glorificá-Lo, porque através do sofrimento Ele nos fará obedecer à Sua vontade. Note que quando estamos em intensa tribulação, queremos compreender o porquê de estarmos sendo tratados com dureza. E é justamente nessa hora que o Senhor se cala e nada nos responde. Isso ocorre porque o Senhor só nos explica os motivos de Seu agir quando vê que nos humilhamos e nos rendemos a Ele. Deus espera o momento em que desistimos de saber o porquê das dificuldades para então falar conosco.

Os cristãos se iludem de que suas vidas irão melhorar porque são filhos de Deus, ou que acontecerá um “clique mágico” que transformará suas vidas. Em Mateus 7:21 Jesus nos ensina: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” E continua em João 9:31: “Sabemos que Deus não atende a pecadores; mas, pelo contrário, se alguém teme a Deus e pratica a sua vontade, a este atende”. A realidade é que o Senhor mudará nossa vida a partir do momento em que obedecermos aos Seus mandamentos. A chave de nossa vitória está em conhecer a verdade e praticá-la!

Equipe Pão de Judá


Carisma e caráter

O problema dos lares está no desequilíbrio entre carisma e caráter. Carisma é a junção de talentos naturais, espirituais e ministeriais. Já o caráter é santidade, humildade e verdade; é conhecer, entender e obedecer a verdade de Deus. Você já percebeu que somos deficientes no caráter e perfeitos no carisma? Há um grande desequilíbrio entre carisma e caráter na vida de todos os cristãos. Abraão foi o pai da fé, mas ele era um homem carismático e com deficiência no caráter (leia Gênesis 12). A desobediência em ir para o Egito e o medo, o fizeram mentir e revelar sua infidelidade conjugal ao entregar sua esposa Sara para o Faraó. Isso comprova o seu caráter deficiente. Em Gênesis 12:13, Abraão estava preocupado consigo mesmo e não com sua esposa. Embora fosse cheio de carisma lhe faltava caráter.

A bênção está onde há equilíbrio! Por isso, se uma família é rica em carisma e pobre em caráter, ela tem mais maldição do que bênção. Em Efésios 5:31-33, o relacionamento conjugal é definido como um “grande mistério”. Mistério é algo oculto que não conhecemos e que precisamos de uma ministração sobrenatural do Espírito para compreender. Para se entender o matrimônio é preciso estar no Espírito, pois as coisas espirituais só são compreendidas pelo espírito (1Co 2:14).

A nossa mente natural bloqueia a revelação de mistérios. Portanto, o carisma é como uma venda que nos cega. Por isso, Deus ordena que sejamos sóbrios e vigilantes, que vivamos no Espírito. Precisamos deixar que Deus abata e destrua o velho homem em nós. O Senhor não analisa carisma, mas caráter. Quando nos humilhamos, ganhamos como recompensa o governo de Cristo. Receber a revelação do mistério nada mais é do que deixar o Senhor entrar, revelar e cumprir o mistério em sua vida.

O temperamento é um espírito maligno que age na alma humana. Ele só é vencido com mansidão e humildade. A mente não pode controlar nossa vida, pois ela é cheia da natureza caída. (Rm 7:14-20) Em nossa vida e, principalmente, em nosso relacionamento conjugal tudo depende de quanto obedecemos e não de quanto você conhece de Deus.

Precisamos de vida, que é santidade e humildade. Quem é humilde tem capacidade de padecer e vencer. É comum vermos Deus libertar, curar, prosperar, operar milagres e maravilhas. Já a restauração familiar é algo que não vemos, pois todos endurecem o coração para o Senhor Jesus trabalhar. Duas almas só darão certo quando forem controladas pelo Espírito de Deus!

Em Mateus 11:28-30, Jesus faz um convite a todos nos, Ele diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve”. A seguir, Ele diz: “Tornai-vos, pois, praticantes da Palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tg 1:22).

Equipe Pão de Judá


Caminhos

Quando Deus formou o homem e o colocou perante duas árvores, a árvore do conhecimento do bem e do mal e a árvore da vida, o Senhor estava dando uma oportunidade para Adão exercitar o seu poder de escolha. Isso se chama livre-arbítrio ou, em outras palavras, significa que Deus formou o homem para que ele pudesse escolher o caminho que ele desejaria seguir. Isso é algo que está presente em todas as pessoas. Se você analisar a sua vida, verá que tudo o que você é e tudo o que possui são resultados desse seu livre arbítrio, ou seja, são resultados das escolhas que você fez durante toda a sua vida. Afinal, nós somos frutos de nossas escolhas!

O próprio Deus nos encoraja a exercitarmos o nosso livre-arbítrio. É isso o que a Palavra de Deus nos ensina. Deus precisa que tenhamos uma posição formada de buscá-Lo ou não. Nossa vida com Ele depende de nossas escolhas, sobre ler ou não Sua Palavra, de orar ou não e obedecê-lo ou não. Você precisa entender que tais coisas estão em sua mão, debaixo de sua responsabilidade. Ao ler o Antigo Testamento e analisar o relacionamento de Deus com homens como Moisés e Abraão, você verá que o Senhor nunca impôs nada para eles. A única coisa que Deus fazia era encorajá-los a tomar decisões. Deus nunca obrigou e nem obrigará homem algum a segui-lo, porque esse seguir deve ser fruto de uma escolha individual. Deus nunca tomará decisões por você, porque tal encargo pertence a você e a mais ninguém. Veja o que Deus fala no livro de Jeremias, capítulo 21, versículo 8: “A este povo dirás: Assim diz o Senhor: Ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte”.

Esta passagem é mais uma prova de que Deus nos encoraja a tomarmos decisões. Ele sempre irá nos proporcionar circunstâncias em que poderemos exercitar o nosso livre-arbítrio. E hoje, Deus te proporcionará mais uma oportunidade, porque Ele precisa que você escolha o caminho em que deseja seguir. O seu relacionamento e sua comunhão com o Senhor dependem dessa escolha que você irá fazer. Há dois caminhos diante do homem, portanto, há duas oportunidades de escolha. Existe o caminho da vida e o caminho da morte. Veja que não há mais nenhum outro caminho diante de nós, apenas esses dois. Com isso, Deus está lhe dizendo que ou você está no caminho da vida ou no caminho da morte. Neste caso, não há meio termo ou um caminho entre a vida e a morte. Há apenas a vida ou a morte. Qual é a sua escolha?

A vida representa o próprio Deus, na figura de Seu Filho, o Cristo vivo, sendo dispensado para dentro de nós. E a esse dispensar segue a nossa atitude. Se você está no caminho da vida, as suas atitudes e palavras denunciarão que você está na vida, pois estará buscando, com intensidade, conhecer e praticar o que Jesus Cristo nos deixou de ensinamentos. A morte significa que você está afastado do Senhor e da Sua Palavra. Em qual deles você está? Caso tenha dúvidas, faça agora a sua escolha. Deus precisa que você se decida entre a vida ou a morte. Sua vida com Deus depende dessa decisão!

Equipe Pão de Judá


Caim

A Bíblia dá uma atenção especial à necessidade de buscarmos a Deus. Ela afirma que precisamos estar com Ele. No livro do profeta Isaías, no capítulo 55, versículo 6, está escrito: Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-O enquanto está perto. Esse buscar que a Bíblia fala nada mais é do que ser uma pessoa próxima de Deus.

Nós, como filhos de Deus, devemos ter comunhão com o nosso Pai. Esse buscar nos possibilita estar perto do Senhor e receber a Sua vida. A segunda geração da humanidade, Caim e Abel, já tinha a preocupação de buscar ao Senhor. No livro de Gênesis, no capítulo 4, versículos 3, 4 e 5, podemos ver a maneira com que cada um buscou ao Senhor: Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao Senhor. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o Senhor de Abel e de sua oferta, ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Podemos ver que os dois irmãos queriam agradar ao Senhor, pois ambos se preocuparam em dar ofertas ao Senhor. Mas somente um deles conseguiu agradar a Deus. Somente uma daquelas ofertas teve a aprovação de Deus.

O Senhor já tinha revelado para Adão, pai de Caim e Abel, a forma de ofertar. Adão, assim como seus filhos, sabiam que o Senhor somente aceitava ofertas que tivessem o sangue de animais para que os pecados do homem fossem perdoados. Assim, tanto Abel como Caim, tinham consciência que o sangue de animais deveria estar presente na oferta que ambos fariam. Abel seguiu as instruções de Deus e por esse motivo, sua oferta foi aceita e agradou ao Senhor, mas não foi isso que aconteceu com o seu irmão, Caim.

Até podemos pensar que Deus foi injusto quando não aceitou a oferta de Caim. Mas, Deus deve ter uma razão para não ter se agradado daquela oferta. Não esqueça de que Caim sabia que o sangue de animais deveria estar presente na sua oferta, mas, de acordo com o que a Bíblia diz, Caim resolveu ofertar apenas o fruto da terra para Deus. Com isso, podemos ver que ele inventou uma nova forma de ofertar. Ele rejeitou o que Deus havia falado e resolveu mover uma oferta de acordo com a sua própria vontade. Mesmo sabendo que sua oferta não tinha nenhum sangue, conforme o ordenamento de Deus, ele resolveu desobedecer ao Senhor e ofertar algo que o Senhor não queria. Essa é a razão porque Deus rejeitou a oferta de Caim. Era uma oferta surgida na desobediência.

Mas, não foi somente Caim que não agradou a Deus. Muitos de nós não agradamos a Deus. O Senhor diz na Sua palavra que Ele deseja reinar sobre a nossa vida. Todos sabem que Ele é o único Senhor e que devemos ser salvos por Ele, mas será que você já foi salvo? A Bíblia diz que somente em Cristo podemos obter a salvação. Caso você se considere uma pessoa salva, essa salvação foi obtida em Cristo e por meio Dele? Nada impede de você se considerar uma pessoa salva, mas será que para Deus, você está salvo? Será que o Senhor te considera uma pessoa salva e obediente? Não seja como Caim, não invente formas de agradar a Deus. Agrade-O conforme a Bíblia nos ensina.

Equipe Pão de Judá